O Candomblé para mim deixou de ser apenas uma religião para se tornar um estilo de vida.

"Huntó Douglas D' Odé"

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Série "Òsún - Obìrin ará Osogbo" - Parte 06 - Òsún àti tiyín àwon Omó

Òsún Karè - Doté Rufino D' Karè


Òsún Karè

É aquela que auxilia todo e qualquer movimento ligado a abundância e fertilidade. 

Possui o poder da multiplicação do útero (gêmeos e trigêmeos). Dona da bolsa d’água, com o direito de aumentar o espaço da gestação.

Òsún karè é a deusa da pesca, rainha da caça, é aquela que mora dentro das águas da cachoeira e ao mesmo tempo mora na entrada das matas.
Senhora que acompanha Odé nas grandes caçadas noturnas.

Òsún Karè - Doté Rufino D' Karè
Está é a Òsún mais bela do Rio de Janeiro, Doté Rufino D' Karè, Òsún principal do DVD Roda de Òsún, de seu pai Doté Luís D' Iyansá. Com uma simplicidade exemplar Rufino D' Karè encatava a todos que os rodeavam. Sempre amigo, companheiro, simpático, agradavel, sorridente, feliz como todo filho de Òsún, e claro com a Òsún mais linda, Rufino sempre arrostou consigo fãs por todo o mundo. 

Infelizmente, Rufino D' Karè , hoje não se encontra entre nós aqui no Aiyè para ver essa homenagem sincera do Espaço Cultural Apejá Omi Onje Dìdún. Rufino voltou ao Òrún no ano 2007, deixando uma legião de fãs, filhos de santo, irmãos de santo, amigos e sem sombra de dúvidas seu Zelador Doté Luís D' Iyansà muito triste, por perder uma pessoa tão querida.

Os anos se passaram e a tristeza ao lembra de Rufino é notória no rosto de todos aqueles que o conheceu. Porém, hoje ainda é lembrado com muita tristeza, mas também com muita alegria, porque todos temos certeza que em breve, Rufino estará de volta, em outro corpo, em outra família, em outro lugar,e quem sabe até em outro país, mas ainda assim ele será Doté Rufino D' Karè.

Mãe Meninazinha D' Òsún
Maria do Nascimento, conhecida como Mãe Meninazinha de Òsún, (18 de agosto de 1937) é uma Ìyálòrìsá do Candomblé.

Foi iniciada em 1960, na Casa-Grande de Mesquita, por sua avó biológica, Ìyá Davina.

Sua mãe biológica, Mariazinha de Nanã, teve quinze filhos - todos iniciados na mesma Casa-Grande. Quando engravidou de Meninazinha, o Òmólú de Ìyá Davina disse que naquela barriga havia uma menina, filha de Òsún, e que seria a herdeira do Asé.



Ekedjí Patrícia D' Karè
Òsún Adolá

Senhora dos cabelos, representa a 
beleza feminina e o adorno facial. Tem como protegidos todos que 
dependem dos cabelos para sobreviver. A está Òsún é entregue o cabelo do Iyawô após um ano da feitura.

Òsún Ìyápondá
Governa a criação infantil, sendo a verdadeira mãe de Logún e também senhora da inocência. Para está Òsún é aconselhável que o okutá seja umedecido com um pouco de leite materno.

Òsún Abaló
Guardiã do Iyawô no período de kelê, sendo considerada a dona do kelê. Neste período deve-se sempre manter uma vela acessa reverenciando Osún para que tudo transcorra bem.

Òsún Opará - Doné Cristiane D' Opará
Doné Cristiane D' Opará ou simplesmente Mãe Cris. Filha mais velha de Doté Luís D' Iyansà, e herdeira do Asé Omó Iná. Mãe Cris vem sendo preparada para que governe o Asé com pulso firme. 

Òsún Opará

Dona dos objetos cortantes, sendo dona da navalha. Esta fase de Osún tem duplo caminho, sendo que uma tem fase Oyá e a fase Ogún.

Quando vem na fase Ogún é aconselhável oferecer nas obrigações de sete em diante um Odá (bode castrado).

Òsún Ijimú - Adriana D' Ijimú
Òsún Ijimú 

Senhora do okutá, responsável por tudo que vive no fundo dos rios. Está demarcação leva 16 okutás em seu assentamento, sendo que apenas um é consagrado ao Ory. É para essa Osún que se entrega a cabeça enrolada na hora da morte. Essa Osún tem o poder de segurar uma gravidez conturbada ou mesmo impossível. É considerada por muitos zeladores como o terceiro caminhos das Ìyámìns.

Dofonitinha D' Karè
Òsún Merin Merin
Protege o Iyawô no período de kelê contra pragas e queimações, dando ao Iyawô neste período o poder de cobra injustiças por conta própria.

Òsún Odò
Iyawô dessa qualificação deve ser coberto com Alá e dentro do seu ibá cinco ovas de peixe. No fim do Orô, lava-se imediatamente o Iyawô ainda virado. (Apagodô, onde tira o ejé todo do Iyawô). Essa demarcação tem kizilas de ejé.


Ekedjí Hilda D' Òsún
Òsún Ayalá

Tem o poder sobre a bolsa lacrimal e tem ainda participação no Axexê. Representa o sofrimento através da lágrima.

Òsún Ogá
Representa a existência absoluta da humanidade, sendo responsável por todo Iyawô após 60 anos. Protege os idosos. Senhora da feitiçaria e mandingas.

Òsún Olokó 

Representa a existência absoluta da humanidade, sendo responsável por todo Iyawô após 60 anos. Protege os idosos. Senhora da feitiçaria e mandingas.

Fomo D' Ajagurá
Òsún Ajagurá
Senhora de todas as aves de penas coloridas e aves aquáticos e terrestres. Responsável pelo Okodidé e pela hora da apresentação do Iyawô a sociedade.

Òsún Popolokun

Responsável pelos kaoris. Herdou de Bàbá Ifá o conhecimento do futuro. Tem como propriedade o Opelê Ifá,além de ser a senhora da intuição,audição e governantes de todos os métodos divinatórios.
Aqui eu encerro mais uma série do Espaço Cultural Apejá Omi Onje Dìdún, dessa vez falando sobre a grande Deusa do amor, da riqueza, aquela que habita nos mais belos jardins. Eis aqui, grandes filhos de Òsún, pessoas que em minha opinião são as mais indicadas para representar essa grande musa do Candomblé.

Nessa cidade todo mundo é d' Òsún. Homem, menino, menina, mulher, toda cidade irradia magia. 
Presente na  água doce;
Presente na água salgada;
E toda cidade brilha.
Seja tenente ou filho de pescador, ou importante desembargador. 
Se der presente é tudo uma coisa só.
A moça que mora na água não faz destinção de cor, e toda cidade é d' Òsún
É d' Òsún
Eu vou navegar;
Eu vou navegar;
Nas ondas do mar eu vou navegar.

Encerro aqui dedicando carinhosamente e humildemente essa séria especialmente à:

Mãe Menininha Do Gantois (Im memoriam);
Pai Rufino D' Òsún (Im memoriam);
Mãe Meninazinha D' Òsún;
Mãe Cristiane D' Òsún;
 Ekedjí Patrícia D' Òsún;
Ekedjí Hilda D' Òsún;
Ekedjí Dena D' Òsún;
Dofonitinha Adriana D' Òsún;
Dofonitinha Alessandra D' Òsún;
Fomo Flávia D' Ajagurá;
Dofono Willian D' Ìyápondá (MG);
Dofonitinho Juninho D' Karè (MG).

A todos aqueles que tem Òsún como composição de Orí, aos Ogans e Ekedjí confirmados para Òsún.

Oore yèyé ò

FIM
Por: Huntó Douglas D' Odé

3 comentários:

  1. Linda matéria!!! Adorei...parabéns! e q venham mais,pq saber naum ocupa espaço!

    ResponderExcluir
  2. ain Obrigadíssimo pela homenagem Huntó ..Qe Yá Ósún tranborde rios de felicidade, e sucesso em tdo qe o S.r. fizer .. Matéria e conteúdo deslumbrantes .. Parabéns ! O s.r. sempre nos dando 1 banho de conhecimento,respeito, carinho e devoção para com o Orisá ! Ósún Mí Adupé ! por tdo .. AbraçO 'Mutumbá !

    ResponderExcluir
  3. amei o documntário pois amo RUFINO de KARÊ até porque tudo o que se diz a respeito de Rufino é AMor eterno.

    ResponderExcluir